domingo, 11 de novembro de 2012

Vida A Preto E Branco.

O jardim estava tão vazio como o meu coração.
O vento agitava furiosamente as árvores e os arbustos.
O meu cabelo dançava ao sabor do mesmo e o meu coração batia cada vez mais depressa. Na verdade, era a única coisa que me fazia acreditar que ainda estava vivo. Desde que partiste que eu nunca mais fora o mesmo. Os meus olhos deixaram de brilhar e de ver a beleza nas coisas, os meus lábios, desde então, não haviam expressado um único sorriso. As minhas lágrimas secaram e a vida deixou de ter qualquer significado. Tudo era a preto e branco, sem qualquer ponta de luz para iluminar a escuridão.
Pergunto-me onde estarás neste preciso momento; pergunto-me para onde a morte te terá levado.
«Para longe de mim, é certo...».
Depressa fui para casa. Deitei-me na cama e contemplei a imagem da Lua. Já nem o seu brilho brilhava como antes...
Decidi ir dormir.
Todas as noites rezava para que, no dia seguinte, não estivesse lá para ver o Sol nascer...

2 comentários: