segunda-feira, 31 de janeiro de 2011

A Chama.

Sim, a nossa chama apagar-se-ia... Faltava pouco, muito pouco para que acontecesse. Essa chama ardia devido ao amor que sentíamos um pelo outro. Era forte mas nela soprava uma brisa forte que a agitava violentamente de um lado para o outro. Tentava protege-la a cada segundo de vida que tinha, dedicava-lhe todos os momentos que alguém jamais dedicaria mas a brisa, mais gélida que nunca, lutava para conseguir apaga-la. Não, não podia deixa-la apagar-se, o nosso amor dependia dessa chama e do amor, as nossas vidas. Sozinho não conseguia que permanece-se acesa, precisava de ti para que lutássemos juntos. Juntos iríamos torna-la mais forte ao ponto de nunca mais correr este risco. Num momento inesperado apareceste e disseste: Eu estou aqui, a chama jamais se apagará... Demos as mãos e usámos todas as forças que tínhamos e que não tínhamos. A chama tornou-se mais brilhante e mais ardente que nunca e o nosso amor tornou-se forte, tão forte que era capaz de superar qualquer coisa se assim fosse preciso...

9 comentários:

  1. "Sozinho não conseguia que permanece-se acesa, precisava de ti para que lutássemos juntos." fez lembrar-me a grande frase "juntos voaremos mais alto". Sem duvida, os teus textos transmitem tanta esperança.

    ResponderEliminar
  2. Gostei do teu cantinho Bruno.
    Estou a seguir :D

    ResponderEliminar